Joca Duarte / Divulgação

Passeios

Ícone de Busca BUSCA DETALHADA
Esta listagem completa contém 225 verbetes.
Para uma busca mais refinada, use os filtros ao lado ou o formulário de busca acima.

O lugar se divide em uma área externa e outra interna. Dentro fica a loja, onde os destaques são itens visados, como os peixes-palhaço (de R$ 40 a R$ 120 a unidade), a tartaruga tigre d'água (R$ 140 a unidade) e os cavalos-marinhos. Também há farta oferta de aquários, rações, enfeites, equipamentos diversos (como filtros e luminárias) e outros animais. Lá fora, uma espécie de parque de diversões (aberto apenas nos finais de semana e feriados) reúne brinquedos para a criançada, como pedalinhos, bate-bates e uma micro-montanha-russa. Há um estacionamento (R$ 3 a hora aos sábados, domingos e feriados e gratuito nos outros dias), um restaurante e algumas lanchonetes.

Av. Jacu-Pêssego, 1.685 - Vila Jacuí - Leste. Telefone: 2535-8000

Na exposição "Planeta Inseto", o público pode aprender, de forma didática, como os insetos convivem entre si e a importância deles para a sociedade humana. No local, há abelhas sem ferrão, baratas e bichos-da-seda, entre outros bichos.

Av. Dr. Dante Pazzanese, 64 - Vila Mariana - Sul. Telefone: 2613-9500

Criado em 1981, o local possui 70 mil m2 e conta com cerca de 400 animais de cem espécies em meio a jardins e lagos margeados por mata atlântica. É possível encontrar espécies ameaçadas, como a onça-pintada, a suçuarana e a arara-azul.

R. Da. Glória Pagnoncelli, 344 - Jardim Rosa de França - Guarulhos. Telefone: 2455-4999

Na mostra, que marca os 400 anos da morte do dramaturgo inglês, painéis ilustrativos abordam suas obras e relembram características da Inglaterra em que ele viveu. Completam a exposição alguns objetos cenográficos e uma maquete do Globe Theatre, idealizado por ele em Londres.

Atrium Shopping - Piso térreo: R. Giovanni Battista Pirelli, 155 - Vila Homero Thon - Santo André. Telefone: 3135-4500

Espaço Olaria
Em shopping

Para relembrar e valorizar a história do ABC paulista, o espaço no Atrium Shopping reúne peças das cerâmicas Matarazzo, São Caetano e Mauá. Durante a semana, artistas irão ministrar oficinas para ensinar a técnica a adultos e crianças.

Atrium Shopping: R. Giovanni Battista Pirelli, 155 - Vila Homero Thon - Santo André. Telefone: 3135-4500

Jardim do Granja
Em shopping

Mais de 20 mil flores, como azaleia, margarida e lavanda, formam um jardim indoor no shopping Granja Viana até 12/6. Em comemoração ao mês das mães, o espaço abriga também escorregador e escalada para os pequenos.


Shopping Granja Vianna - Pça. de eventos: Rod. Raposo Tavares, 1, km 23,5 - Granja Viana - Cotia. Telefone: 4613-9000

Fundada em 1580, a aldeia continua conservada, o que a faz servir de cenário para campanhas publicitárias e filmes, como "Casinha Pequenina" (1963), com Mazzaropi. As 20 casas de taipa de pilão, pintadas de azul e branco, abrigam famílias -algumas vivem ali há pelo menos 300 anos-, a secretaria de Cultura de Carapicuíba, a Biblioteca Municipal Sarabaquê e a Casa de Cultura, além da capela Comunidade Santa Catarina, datada de 1736.

Pça. da Aldeia, 19 - Jardim Marilu - Carapicuíba. Telefone: 4186-0821

Com parte da renda arrecadada revertida para a ONG Liga Solidária, a festa junina terá comidas e bebidas típicas, caso de canjica e quentão, além de quadrilhas e shows das bandas Falamansa e Bicho de Pé. A expectativa da organização é de receber 20 mil pessoas em dois dias.

Jockey Club de São Paulo - Portão 1: Av. Lineu de Paula Machado, 1.263 - Jardim Everest - Sul. Telefone: 2659-5898

Baratos Afins
Especial

A loja de Luiz Calanca, 60, é uma referência na Galeria do Rock. "O vinil é minha cultura. Comecei limpando discos que eram tocados em um serviço de auto-falante lá no interior (Flórida Paulista)". Em sua coleção particualr há quase 20 mil LPs e compactos. Na loja, são _ mil discos do catálogo, divididas entre quase todos os gêneros. Mas não foi sempre assim: "Quando abri a loja, tinha horror de 'disco music'. 'Embalos de Sábado à noite', essas coisas. Eu jogava os discos no tapete do chão. Éramos moleques radicais. Aí um dia chegou um rapaz que tinha comprado Yes, Pink Floyd, Emerson, Lake and Palmer, toda uma onda progressiva. Ele catou um disco da Donna Summer do chão e lamentou: 'pô, a rainha da disco music, que pecado!'. Eu fiquei com tanta vergonha, cara. A gente não tem direito de julgar o gosto dos outros. Nesse momento tirei os discos do chão e passei a vender de tudo". À frente da loja desde 1878, ele capitaneia também um selo com o mesom nome, que ficou marcado nos anos 1990 pela re-edição da discografia dos Mutantes e hoje dedica-se a lançamentos independentes. Ruy Castro, colunista da Folha, está entre os compradores ilustres. "Para ficar legal mesmo precisaríamos de uma indústria de qualdiade de vitrolas, e principalmente ter mais concorrência na produção dos álbuns". "As gerações mais novas não têm a mesma referência de qualidade de som, o mesmo apego à música".

Galeria do Rock: Av. São João, 439 - República - Centro. Telefone: 3223-8402

Com acervo de 11 mil volumes, a biblioteca tem livros infantis em dez idiomas diferentes, como inglês, português, espanhol, alemão e japonês, além de obras em braile. Para fazer empréstimo, basta levar RG e comprovante de endereço. É possível retirar cinco obras por vez.

Centro Universitário Belas Artes de São Paulo: R. Dr. Álvaro Alvim, 90 - Vila Mariana - Sul. Telefone: 5576-5729

Conta com acervo especializado em literatura fantástica, além de 2.000 gibis, e virou ponto de encontro de jogadores de RPG. Algumas vezes por ano, realiza a Jornada Noite Adentro, que combina mesas de jogos, debates e exibição de filmes.

Biblioteca Pública Viriato Corrêa - Sala Luiz Sergio Person: R. Sena Madureira, 298 - Vila Mariana - Sul. Telefone: 5573-4017

Brechas Urbanas
Especial

Na última quinta-feira do mês, o Itaú Cultural, em parceria com o Cidade para Pessoas, passa a promover encontros para discutir a vida na cidade. Nesta primeira edição, o tema é "Água em Trânsito: será possível com mais calma e fluidez numa cidade tão veloz?" O debate, mediado por Natália Garcia, terá a participação de Carolina Lefévre, praticante de yoga
e do zen budismo, e José Bueno, mestre de aikidô.

Itaú Cultural - Sala Itaú Cultural: Av. Paulista, 149 - Bela Vista - Centro. Telefone: 2168-1777

Saindo da frente do Theatro Municipal todas as quintas, mos­tra marcos tradicionais e pontos menos conhecidos da metrópole

Pça. Ramos de Azevedo, s/nº - República - Centro. Telefone: 3256-7909

Conhecida como Casa de Vidro por ter paredes transparentes que permitem observar um trecho de mata, o lugar foi a residência do casal Pietro e Lina Bo Bardi. Arquiteta, Lina (1914-1992) projetou construções como o Masp e o Sesc Pompeia. Tombada como patrimônio histórico, a casa pode ser visitada mediante agendamento.

R. Gen. Almério de Moura, 200 - Vila Tramontano - Oeste. Telefone: 3743-3875

O local tem quatro pavimentos em uma área de 46 mil m². Entre as atrações, estão cinco bibliotecas, peças teatrais, exibição de filmes e exposições.

R. Vergueiro, 1.000 - Liberdade - Centro. Telefone: 3397-4002

A programação desta terça (26) até 10 de junho inclui filmes, palestras e aulas que focam o desastre ambiental em Mariana (MG) e os riscos socioambientais da exploração de minérios. No primeiro dia, há abertura da mostra com intervenções da artista Leila Monsegur em fotos da tragédia.

Matilha Cultural: Galeria e arena - r. Rego Freitas, 542 - República - Centro. Telefone: 3256-2636

Disco Sete Vinil
Especial

A Disco 7 Vinil abriga de 1.500 a 2 mil discos, "divididos principalmente em soul, música negra e jazz. E um pouquinho de rock", explica Carlos Galdy Silveira, 46, o Carlinhos. Ele tem a loja há cerca de dez anos, mas convive com os discos há muitos mais. "[O vinil] sempre foi meu ganha-pão desde os 12 anos". A loja é mantida praticamente intocada de mídicas digitais e não faz vendas pela internet ("Prefiro o pessoal"). "O movimento cresceu, sim, mas apareceram mais vendedores também. Antes só tinha duas lojas aqui", explica Carlinhos. Para ele, "o que vende mesmo é Jorge Ben e Tim Maia".

Galeria Nova Barão: R. Br. de Itapetininga, 37, lj. 24 - República - Centro. Telefone: 3231-1193

Disconcert
Especial

Com foco no rock, a pequena loja em Perdizes (são cerca de 500 discos em vinil) é generalista e abrange os figurões de praticamente todos os grandes gêneros musicais: punk, folk, rock clássico, bossa nova, jazz e MPB. Vende também CDs e DVDs e trabalha com encomendas principalmente se envolverem o desafio da raridade. A vitrola dispara LPs em modo contínuo. Nascida nos anos 1990 por iniciativa do jornalista Fábio Massari, a loja hoje é de Paulo Assad, auxiliado por Moraes Filho, o Fil, na caça aos bolachões mais procurados pelo público. A clientela, aliás, aumentou de um ano para cá, a ponto de a loja passar a abrir regularmente antes era só de noite e não em todos os dias. Além de fornecer boa música, a Disconcert se tornou um "esquenta" de músicos e notívagos antes (e depois) das baladas.

R. Wanderley, 398 - Perdizes - Oeste. Telefone: 3871-2544

Eric Discos
Especial

O inglês Eric Crauford, 66, veio de Londres para São Paulo em 1972. Em 1979, abandonou um emprego em um banco para montar seu sebo com parte da imensa coleção. São 80 mil álbuns nas seis pequenas salas da loja (incluindo uma pequena parte de CDs) e 50 mil discos de vinil em sua coleção particular. O menu é variado e cobre figurões e obscuridades de praticamente todos os gêneros, do carimbó ao blues de raiz, passando por um exemplar de "Araçá Azul", de Caetano Veloso (1972; R$ 68), e pelo item mais caro do acervo: "Their Satanic Majesties Request", dos Rolling Stones (1967; R$ 400), em edição original com uma imagem holográfica em 3D na capa. "Tenho alguns da década de 1940", diz, reforçando o argumento de que, se cuidado _"guardado em um lugar sem umidade, dentro dos plásticos interno e externo, o vinil dura mais que o CD. Não é a única razão da paixão de Crauford: "além do som do vinil ser melhor, você perde, no digital, a beleza da arte, dos encartes". Com uma lista de visitantes ilustres que inclui Fatboy Slim ("ele vem comprar bossa nova") e, no passado, Raul Seixas (1945-1989), ele está seguro sobre a nova onda: "Vem cada vez mais gente aqui dizendo que comprou vitrola e não tem coleção. E cada vez mais novos. O vinil está voltando."

R. Artur de Azevedo, 1.813 - Cerqueira César - Oeste. Telefone: 3081-8252

O evento ocorre permanentemente aos finais de semana. A rua Eliza Whitacker vai reunir cerca de cem tendas que oferecem roupas, acessórios, itens de decoração e serviços de maquiagem, tatuagem e caligrafia, além de comida árabe.

R. Henrique Dias, s/nº - Brás - Leste. Telefone:

Ocorre todos os sábados e domingos na área de piquenique do parque, das 10h às 18h. No local, food trucks e bikes servem pratos vegetarianos, com carnes e doces. Parte da renda é revertida para a manutenção do espaço.

Pq. Burle Marx - área de piqueniques: Av. Da. Helena Pereira de Moraes, 200 - Parque do Morumbi - Sul. Telefone: 3746-7631

O espaço tem cursos e palestras para quem ainda não está na faculdade, mas já quer estudar fotografia, cinema e moda. A diretora Laís Bodanzky é uma das que costumam falar por lá.

Escola São Paulo - unidade 1: R. Augusta, 2.239 - Cerqueira César - Oeste. Telefone: 3060-3636

Os irmãos Márcio e Gilberto Custódio abriram a loja em janeiro de 2011. "Nosso objetivo era fugir do estereótipo do sebo velho e trazer também discos novos. Se você quiser, vai achar The Black Keys", diz Márcio. Atualmente, o disco mais vendido de seu estabelecimento é do rapper e cantor Criolo, ícone da nova música paulista. "Temos o leque aberto", diz Márcio, que comercializa MPB, jazz, heavy metal, rock alternativo, música eletrônica etc. Como muitos, Márcio é um entusiasta dos bolachões. "Além do som ser infinitamente superior, mais encorpado e valorizando todas as nuances da música, o disco é mais legal de tocar e mais charmoso de manusear. Aquele negócio preto e redondo é um símbolo muito forte e faz você dar um valor maior à música." Por outro lado, não lhe faltam pudores na hora de mesclar mídias: "Obviamente não dá para escutar vinil no carro ou na rua." A nova febre do vinil lhe rendeu frutos mais valiosos que o sucesso comercial: "Conheci minha namorada aqui. [risos] Ela já colecionava e me impressionou por só ter discos certeiros e raríssimos. Agora colecionamos juntos."

Galeria Nova Barão: R. Br. de Itapetininga, 37, lj. 8 - República - Centro. Telefone: 3255-4963

Inaugurado em 1933, o belo prédio abriga cerca de 300 boxes de frutas, queijos, carnes e embutidos. Com pé direito que pode chegar a 16 m, boa opção é conferir o mezanino, que tem bares e restaurantes de comidinhas diversas.

R. da Cantareira, 306 - Centro - Centro. Telefone: 3228-9332

Mostra Blues
Especial

Fotos de artistas como Norah Jones, Herbie Hancock e Ben Harper feitas por André Velozo estarão expostas de 2 a 31 de maio no Reserva Cultural. A mostra faz parte da Mostra Blues, que contempla também exibição de filmes, caso de "What Happened Miss Simone?" de 12 a 18 de maio no mesmo local. Após as sessões, serão realizados bate papos com Nuno Mindellis e Mário Bortolotto.

Reserva Cultural: Av. Paulista, 900 - Bela Vista - Centro. Telefone: 3287-3529

A "disco music" dos anos 1970 em vinil tem sua embaixada no centro de São Paulo: a Mr. Groove, loja de Osvaldo Oliveira Júnior, 45, no Centro Comercial Presidente desde 1984. A loja vende também CDs, DVDs e equipamentos para DJs, mas a predileção pelo vinil é evidente. "O vinil se tornou inviável em termos de transporte e de armazenamento, pois ocupa mais espaço, mas sua qualidade sonora é indiscutível". Aficionado em "singles" de 12 polegadas, Júnior é pessimista quanto a um "retorno" dos bolachões. "Ainda sobraram alguns colecionadores, mas nunca mais vai ser o mesmo movimento que era antes do CD". Ele, porém, falava ao telefone enquanto embrulhava seu item mais valioso, vendido para um comprador na China ao preço de US$ 1.100 (aproximadamente R$ 2.180). "Um disco chamado 'Michael Jackson - The Medleys', que é uma montagem de um DJ brasileiro que não foi aprovada pela gravadora. Restaram só pouquíssimas cópias promocionais."

Galeria Presidente: R. 24 de Maio, 116, lj. 9, térreo - República - Centro. Telefone: 3337-1006

Todas às terças, o Ocupa, espaço híbrido na Vila Mariana, realiza feira de produtos orgânicos (sem agrotóxicos ou produtos químicos). Todos os legumes e frutas são produzidos em uma fazenda em Cotia.

Ocupa: Av. Cons. Rodrigues Alves, 83 - Vila Mariana - Sul. Telefone: 99893-2899

O local expõe e comercializa diversos tipos de orquídeas, além de oferecer equipamentos e insumos para o cultivo da flor. Aos sábados, são realizados cursos e oficinas de jardinagem.

Av. Prof. Vicente Ráo, 1.513 - Jardim Petrópolis - Sul. Telefone: 5041-2391

Sarau Suburbano
Especial

Alessandro Buzo transforma toda terça-feira o centro em periferia no Bixiga, agregando poetas de diferentes regiões. O espaço também conta com uma livraria especializada em literatura periférica e marginal.

Livraria Suburbano Convicto: R. 13 de Maio, 70, 2º andar - Bela Vista - Centro. Telefone: 98218-7512

Teia GNT
Especial

Discutido por mulheres a partir de painéis e filmes, o empoderamento feminino será o tema central do evento. Além da participação de nomes como o da escritora Clara Averbuck, haverá exibição dos documentários "Malala" e "India's Daughter".

Mube: Av. Europa, 218 - Jardim Europa - Oeste. Telefone: 2594-2601

The Records
Especial

Com fachada coberta de flyers e pôsteres, a The Records entrega rápido sua proposta: reunir o catálogo punk e hardcore em vinil. Há dois anos e meio na loja com mais dois sócios, Giuliano Belloni, 33, atribui a predileção ao formato a "um conjunto de coisas, desde a parte gráfica à qualidade do som". Além do mais, foi nesse formato que ele aprendeu a ouvir música. Seu novo público, pelo contrário, nasceu quando o vinil já fora dado como morto _uma precipitação, como hoje se vê. "Dá pra notar que tem mais público e bastante gente nova, 15, 16 anos. São pessoas que não cresceram próximas do vinil". Seu disco mais valioso (não necessariamente o mais caro) é a coletânea "Sub", de 1983, marco da discografia punk nacional com incipiências de nomes como Ratos de Porão e Cólera.

Galeria Nova Barão: R. Br. de Itapetininga, 37, lj. 43 - República - Centro. Telefone: 3257-2145

No sábado (4) e no domingo (5), o público poderá participar de oficinas de xilogravura, impressão em 3D, serigrafia e de encadernação artesanal. O evento terá também feira com cerca de 60 editoras e coletivos que apresentam livros e zines.

Espaço Cultural Porto Seguro: Al. Br. de Piracicaba, 610 - Campos Elíseos - Centro. Telefone: 3226-7361

Tony Hits
Especial

A vitrola fica o tempo inteiro dando as pistas da vocação na loja de Antonio Boaventura Vieira de Moura, 59, o Tony: samba, samba-rock, MPB e o soul negro nacional dos anos 1970 são a maioria por ali. Veterano de bailes e festas na cidade, Tony é mais um apaixonado pelo vinil: "Gosto até mais do que vendo!". Depois de 3 décadas no setor de construção civil, ele se dedica há 15 anos à venda de discos, que, diz, cresceu bastante em seu comércio nos últimos tempos. "O jovem a partir de 16 anos é o grande responsável por aquecer esse mercado. Viveu sua vida toda com CD e MP3 e agora quer ouvir música com apreço". Ele alerta, porém, para as dificuldades de transitar em um meio de poucas referências de capital: "O leigo do mercado de discos não tem a noção do valor das coisas. Tem uns loucos que vendem por R$ 300 o que eu cobro R$ 30".

Galeria Boulevard do Centro: R. 24 de Maio, 188, 1º piso, lj. 109 - República - Centro. Telefone: 3337-7048

Ventania Discos
Especial

Alcides Neto, 19, é filho do dono da loja, Alcides Campos Filho, 55, e prefere ouvir vinil. "Tendo uma aparelhagem boa, o prazer de ouvir música é bem maior do que com o CD". Ele não se vê sozinho nessa: "Nos últimos três anos há uma melhora. Cada vez têm vindo mais jovens que dizem que compraram uma vitrola e estão começando a colecionar". A loja existe desde 1985 e abraça todos os gêneros nos 100 mil discos do catálogo. O lado ruim do aquecimento, ele diz, é que os colecionadores retêm suas joias. "Fica mais difícil encontrar raridades clássicas, como o primeiro do Roberto Carlos, o "Paêbirú", do Zé Ramalho e do Lula Cortês, e o "Tim Maia Racional Vol. 1". Os discos vão de R$ 5 (como "Break Every Rule", de Tina Turner) a R$ 300.

Galeria Boulevard do Centro: R. 24 de Maio, 188, ljs. 115 e 117, 1º andar - República - Centro. Telefone: s/tel.

Escolhido por ser o mês em que é celebrado o Dia de Portugal (10/6), junho terá uma série de atrações que unem as culturas lusitana e brasileira. Nesta mostra, nomes de lá que vivem por aqui apresentam instalações e desenhos que abordam o fascínio existente entre os dois países.

Consulado Geral de Portugal - Sala Fernando Pessoa: R. Canadá, 324 - Jardim América - Oeste. Telefone: 2776-1920

Projeto Latitudes
Exposições

As semelhanças entre Benim, na África, e o Brasil, estão representadas na visão do artista plástico Alexandre Keto em um mural no Sesc Vila Mariana. A proposta é gerar reflexões
sobre a escravidão e os desdobramentos dela hoje.

Sesc Vila Mariana: R. Pelotas, 141, térreo - Vila Mariana - Sul. Telefone: 5080-3000

A mostra usa objetos antigos, documentos raros e telas interativas para mostrar como a energia elétrica transformou a vida dos paulistas. Miniaturas de hidrelétricas e sistemas de geração de energias solar e eólica também fazem parte da exposição.

Museu da Energia de São Paulo: Al. Cleveland, 601 - Campos Elíseos - Centro. Telefone: 3224-1499

Um Plano Real
Exposições

Com direção artística de Marcello Dantas (do Museu da Língua Portuguesa), a exposição conta o processo de estabilização da moeda e o controle da inflação brasileira nos anos 1990. Vídeos, painéis interativos, simulações em máquinas eletrônicas e documentos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso compõem a mostra

Fundação Instituto Fernando Henrique Cardoso: R. Formosa, 367, 5º andar - Centro - Centro. Telefone: 3359-5000

A feira expõe apenas produtos de fabricação própria ou objetos que possibilitem personalização pelo cliente. Entre os produtos, estão roupas, acessórios, objetos de decoração e artesanatos.

Shopping Center 3: Av. Paulista, 2.064 - Bela Vista - Centro. Telefone: 3285-2458

As barracas que vendem tempurá, yakiso­ba e outros quitutes tipicamente japoneses estão sempre cheias. Aproveite o passeio para conhecer as lojas de artigos característicos e os restaurantes tradicionais na região, abertos inclusive aos domingos.

Pça. da Liberdade, s/nº - Liberdade - Centro. Telefone: 3208-5090

Umas das mais tradicionais de São Paulo, a feira começou com colecionadores que se reuniam ali para trocar raridades. Há estandes onde é possível encontrar pedras preciosas, artigos de couro, artesanatos e bijuterias.

Pça. da República - República - Centro. Telefone: 3397-1303

Cães abandonados poderão ganhar um lar no domingo. Todos os bichanos são castrados, vacinados e vermifugados.

Shopping West Plaza - Boulevard: Av. Francisco Matarazzo, s/nº - Água Branca - Oeste. Telefone: 3677-4000

Realizada no vão-livre do Masp, a tradicional feira conta com representações de vários antiquários, que comercializam peças de decoração, joias e obras de arte.

Masp - Vão-livre: Av. Paulista, 1.578 - Bela Vista - Centro. Telefone: 3253-6382

Uma das mais tradicionais da cidade, a feira de pequeno porte congrega uma boa variedade de antiquários com peças selecionadas. É possível encontrar luminárias, porcelanas, pinturas, esculturas e curiosidades de época.

Mube: Av. Europa, 218 - Jardim Europa - Oeste. Telefone: 2594-2601

Artes plásticas, comidas típicas, bijuterias e artesanatos são expostos às quartas, sextas e domingos –as quartas são dedicadas também às comidas típicas e os domingos, às artes. Há mais de 100 expositores participando do evento.

Feira Permanente Arte e Cultura Moema: Pça. Nsa. Sra. Aparecida, s/nº - Indianópolis - Sul. Telefone: 3397-4185

A feira acomoda cerca de 320 expositores, a maioria de móveis e utensílios domésticos antigos, além de outras raridades, como vinis, selos e moedas. Outros projetos que acontecem entre as barracas são o Chorinho na Praça, todos os sábados das 14h30 às 18h30, e o Autor na Praça, quinzenalmente, a partir das 14h, com lançamentos de livros, debates e distribuição de autógrafos

Pça. Benedito Calixto, 112 - Pinheiros - Oeste. Telefone: 3081-1803

A feira do Centro de Tradições Nordestinas reúne trabalhos de 30 artesãos. Entre os produtos oferecidos estão bolsas, tapetes, roupas, acessórios e utensílios domésticos.

CTN - Centro de Tradições Nordestinas: R. Jacofer, 615 - Jardim Pereira Leite - Norte. Telefone: 3488-9400

A atração ocupa várias ruas do centro da cidade com barracas e lojas que vendem itens de artesanato, obras de arte, móveis rústicos e plantas ornamentais. Porcelanas, bijuterias, roupas e instrumentos musicais são alguns dos itens oferecidos.

Centro Histórico do Largo Vinte e Um de Abril: Lgo. 21 de Abril, 139 - Centro - Embu das Artes. Telefone: 4704-6565

Em busca de ingredientes para preparar delícias como bolinho de mandioca e feijão tropeiro, a feira que conta com alimentos sem agrotóxicos, herbicidas, sementes transgênicas, hormônios ou antibióticos, montada às quintas em Santo Amaro, é uma ótima opção

R. São Benedito, s/nº, entre as ruas Américo Brasiliense e Alexandre Dumas - Santo Amaro - Sul. Telefone: